Obesidade Infantil:Realidade,Tratamento e Prevenção

 Atualmente o Brasil  passa por uma transição nutricional,em que ocorrem uma série de inversões de problemas nutricionais.O que se percebe é que está havendo uma declínio nos déficts estaturais em crianças e adolescente de baixa renda,porém em compensação uma maior mobilidade social de sobrepeso  neste mesmo grupo, como também nos estrados sociais mais elevados.

 

As causas da obesidade infantil podem ser genéticas ou por causas adquiridas como:fatores ambientais e comportamentais,medicamentos,epigenética e viral. A maioria dos casos(95%) se devem aos fatores ambientais e comportamentais,como por exemplo: O Sedentarismo!

 

O sedentarismo em crianças e adolescentes explica-se pelo fato das crianças estarem passando várias horas em frente à telas(TV,tablet,celular,computador e vídeo game) e por terem poucas opções recreativas próximas aos domícilios.

 

Também há uma correlação da obesidade infantil com a obesidade dos pais.A partir de 3 anos de idade,quando um dos pais é obeso,o risco da crianças de ser obesa é de 25% a 50%,quando pai e mãe são obesos o risco pode chegar a 100%.Isso se deve ao comportamento alimentar absorvido pela criança em relação ao comportamento alimentar dos pais,que em geral é hipercalórico,rico em açúcares e gorduras.

 

Quantos aos fatores epigenéticos, são meios pelos quais o meio ambiente controla os fatores genéticos,como por ex: a nutrição materna durante a gravidez.

 

Outro fator epigenético é o aleitamento materno, o qual tem função protetora contra a obesidade.Crianças que não receberam aleitamento materno podem obter maior risco  de obesidade, já que provavelmente se alimentaram ou alimentam de farináceos,os quais possuem alto valor calórico.Mães que perdem peso antes da gravidez,ou que se submetem à cirurgia bariátrica anterior à gravidez devido à obesidade de grau III, previnem a transmissão de obesidade para o filho.

 

As consequências geradas pela obesidade infantil podem ser as citadas:

  • Asma Brônquica

  • Hipoxemia Crônica

  • Tíbia Vara

  • Sangramento Uterino Disfuncional

  • Pseudoginecomastia

  • Litíase Biliar

  • Esteatohepatite não Alcoólica

  • Depressão

  • Baixa auta estima

  • Transtornos Alimentares

O tratamento para obesidae infantil consiste em :

  1. Mudanças no estilo de vida

  2. Suporte Psicológico

  3. Orientação Alimentar

  4. Apoio Familiar

  5. Medicamentos

Sendo assim, fica o apelo...

 

Pais,

O melhor de todos os mundos é a prevenção da obesidade infantil,que pode se dar pelo evitamento da obesidade gestacional, prioriozação do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês, limitação da quantidade de alimentos calóricos em casa , incentivo às práticas de atividades físicas e realização um acompanhamento profissional com um nutricionista!!!!

 

 

Simone Faria de Souza Carvalho - Nutricionista pela UFV

 

Nutrição Clínica pela UFF, Extensão em Transtornos Alimentares e Obesidade pela UFRJ/IPUB/IEDE, Especialista em Nutrição Materno Infantil e Comportamental pela UFV e IPGS, Consultora em Gastronomia Saudável e Segurança Alimentar.

Atendimentos às terças feiras, na Avenida Sete de Setembro, n 317, sl 302. Jardim Icaraí. Niterói/Edifício Near Offices

Please reload

Posts Em Destaque

Mulher Maravilha: Os superpoderes da mulher atual.

July 17, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes

October 16, 2017

August 4, 2017

July 5, 2017

January 4, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Copyright 2016 by Mães Unidas de Niterói

Todos os direitos reservados

  • Facebook
  • Instagram