"Pai “banana”, filhos “abacaxis”

 

Utilizo esta metáfora após várias reflexões sobre o papel do pai e o da mãe na construção psíquica dos filhos.

 

Desde a criação do complexo de Édipo, passando pelas novas visões da questão pelos seguidores de Freud, bem como da visão de mãe suficientemente boa elaborada por Winnicott, o papel tanto da mãe como do pai têm sido objeto de estudo pelas diversas abordagens da psicanálise e da psicologia.

 

Nesta proposta, apresento uma breve visão onde o papel do pai e o da mãe são extremamente importantes.
Vale a pena um pequeno resumo sobre a doutrina psicanalítica a respeito da questão.


O Complexo de Édipo é considerado a pedra fundamental da psicanálise. Seu nome foi retirado do mito grego do rei Édipo, que ao nascer recebeu um oráculo que dizia que ele mataria seu próprio pai e se casaria com a sua mãe. Assim, explicam-se, pela teoria freudiana, as diversas consequência da interação entre os filhos e os pais.


É importante destacarmos que esta teoria foi desenvolvida no final do século XIX e início do século XX.
É evidente que na atualidade os papeis de pai e mãe são bem diferentes da época em que esta teoria foi criada, pois a sociedade mudou bastante, mas mesmo assim ainda acredito neste esquema com algumas adaptações oriundas da teoria do amadurecimento psíquico do psicanalista e pediatra inglês Donald Winnicott.


Diante deste fato, ressalto a importância da psicanálise winnicottiana, mais contemporânea, onde Donald Winnicott apresenta sua teoria do amadurecimento psíquico com base na idéia da interação do ambiente, de modo a possibilitar um amadurecimento e um desenvolvimento das potencialidades da criança. E isto é possível por meio do entendimento de cada fase e da atuação de uma “mãe suficientemente boa” e um “pai suficientemente bom”.


É evidente que os papeis devem ser exercidos no momento próprio e que acolhimento e frustrações ocorram de forma que a criança possa internalizar a idéia de que a vida vale a pena ser vivida e o respeito a uma lei, que em princípio é a dos pais.


Para não me alongar, cito três exemplos perigosos:
1 – Quando mãe, por questões pessoais inconscientes, tenta ser uma supermãe (O conceito de mãe suficientemente boa para Winnicott é a de uma mãe que, como todo ser humano, também falha).
2 – Quando a mãe não autoriza ou não reconhece o pai (marido) como autoridade perante o filho. Costumo dizer que para ser reconhecido como Pai é preciso primeiro ser reconhecido como Homem.
3 – Quando o pai confunde autoridade com autoritarismo, seja em atitudes com a criança seja com a mãe da criança. 

 

Considerações Finais
- A mãe tem uma atuação fundamental na primeira fase do recém nascido. É o ego auxiliar do bebê.
- O pai tem como função indispensável: a interação na relação mãe/bebê.
- O bebê traz consigo uma vocação ou necessidade do alento e de limites.
- A atitude da mãe de não reconhecimento da autoridade/importância do pai na relação mãe/bebê acaba por resultar uma situação de pai ”banana” que acabará por gerar na criança, seja menino ou menina, conseqüências quando a sua necessidade de entender limites e lidar com os mesmos, com possível revolta contra a mãe ou até mesmo contra pai e mãe.
- A identificação do menino com o pai e da menina com a mãe é fruto de uma passagem pela infância onde a criança reconhece a mãe e o pai como homem e mulher, se respeitando, e de pai e mãe, onde ocorre tanto o acolhimento quanto as necessárias frustrações.
- Por último, deve ficar claro que a mãe pode e deve frustrar, assim como o pai pode e deve acolher, contudo, nos primeiros momentos, enquanto a criança não possui uma cognição calcada em razão, os papeis devem começar bem definidos, respeitando as fases do amadurecimento psíquico e depois se flexibilizando a medida que esta noção já estiver consolidada na criança. 

Joucenyr da Silva CRPRJ 39663
Psicólogo de Família
CONTATO: tel. (21) 99755-9589 - E-mail: Joucenyr@hotmail.com
http://www.psicologiaparatodos.com.br/index.htm
* Mãe Amiga de Carteirinha tem Plano de Atendimento diferenciado

Please reload

Posts Em Destaque

Mulher Maravilha: Os superpoderes da mulher atual.

July 17, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes

October 16, 2017

August 4, 2017

July 5, 2017

January 4, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Copyright 2016 by Mães Unidas de Niterói

Todos os direitos reservados

  • Facebook
  • Instagram